jump to navigation

Astrônomo amador observa nave militar americana 01/06/2010

Posted by fellipy in astronáutica, Astronomia, Astronomia Amadora, órbita da Terra, NASA.
Tags: , , , , ,
1 comment so far
Nave espacial X-37B momentos antes do lançamento

Nave espacial X-37B momentos antes do lançamento

No dia 22 de abril, as Forças Armadas dos Estados Unidos, em conjunto com a Nasa, o Pentágono e a Boeing, lançou o Veículo de Teste Orbital X-37B (foto à esquerda). Com um comprimento de 9 metros e pesando cerca de 5 toneladas, sua função ainda não foi anunciada, mas especula-se que tenha como objetivo ser uma nave militar espiã.

O que eles não esperavam é que um astrônomo amador conseguisse detectar sua posição no céu e, além disso, conseguir determinar sua órbita.

E foi isto que aconteceu! Kevin Fetter, um astrônomo amador americano, detectava no céu satélites espaciais fora de operação, quando de forma acidental detectou por alguns segundos o veículo espacial X-37B cruzando o céu. “Eu o vi por pura sorte, porque estava apontando para área certa do céu”, disse o astrônomo ao jornal canadense The Globe and Mail.

Kevin Fetter (foto à direita) é membro do site Heavens-Above.com, que identifica e mapeia satélites ativos ou desativados no céu. Com as coordenadas que ele captou em seu telescópio, ele, com o auxílio de outros astrônomos do site, determinaram a órbita desta nave. Desta forma, eles descobriram que o X-37B está a 410 km de distância da Terra, completando uma volta a cada 90 minutos e que sua rota passava por países como Afeganistão, Paquistão, Coréia do Norte e Iraque, países que estão sob a alerta da segurança nacional americana.

Além disso, Ted Molczan, um astrônomo americano que também monitora satélites, disse que o tipo de órbita que realiza esta nave é tipica de satélites militares espiões, o que indica uma possivel utilização do X-37B.

Se você também quiser observar este satélite no céu, uma forma de ter acesso às suas posições é visitar o Site Heavens-above.com. Nós aqui do site, pra facilitar sua busca, selecionamos os melhores dias para que você possa observar esta nave militar. As coordenadas das cartas abaixo estão de acordo com as coordenadas da cidade de São Carlos/SP.

Clique aqui para ver as passagens da nave X-37B no mês de junho

Fonte das informações: Jornal The Globe and Mail e Heavens-Above

Anúncios

Um impacto em Júpiter! 21/07/2009

Posted by fellipy in Ano Internacional da Astronomia, Astrofísica, Astronomia, Astronomia Amadora, eventos, história, NASA, Sistema Solar.
Tags: , , , , , , , , , ,
add a comment
371581main_Hompage_Jupiter_Impact_v2_640x350

Créditos da Imagem: NASA/JPL/Infrared Telescope Facility, localizado no Mauna Kea, Hawaii

Imagine a cena: Anthony Wesley, astrônomo amador, estava na Austrália fazendo algumas observações do planeta Júpiter, quando de repente ele percebe uma mancha bem escura na superfície do planeta, próximo ao pólo (imagem acima). A imagem o intrigou, fazendo-o procurar o pessoal adequado para entender o que haveria acontecido naquele momento durante a imagem.

Assim, conseguindo contato com os cientistas o Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL),  foi possível estudar o fenômeno utilizando telescópios que captam imagens em infravermelho. E, no dia 20 de julho (última segunda-feira), veio a notícia esperada: Anthony detectara em sua imagem a colisão de um grande objeto sobre a superfície de Júpiter, causando assim um buraco escuro, tendo o tamanho equivalente ao da Terra.

Analisando as imagens de Júpiter em infravermelho, eles puderam ver que a mancha sobre a superfície era brilhante, dando o sinal de que algum tipo de explosão teria acontecido naquele local. Segundo os dados obtidos, ainda não dá pra ter certeza se foi um asteróide ou um cometa que se chocou com Júpiter; entretanto, pelas imagens há fortes indícios de que tenha sido um cometa.

Até os cientistas da NASA se espantaram com a incrível sorte obtida pelo astrônomo amador. “Somos extremamente sortudos ao observar Júpiter no momento certo, na hora certa e no lado certo de Júpiter, testemunhando assim o evento”, disse Glenn Orton, um dos cientistas do JPL.

Além do grande evento, uma outra coincidência marca esta notícia: há exatamente 15 anos atrás, astrônomos de diversas partes do mundo puderam observar pela primeira vez a colisão de um cometa sobre a superfície de um planeta. Esse cometa era o Shoemaker-Levy 9 e o Planeta era Júpiter mais uma vez.
O Shoemaker-Levy 9 foi detectado em 1993, e em 1994, ele se fragmentou em cerca de 24 pedaços, se chocando contra Júpiter.

Fonte dos dados: NASA e revista NewScientist.

Kepler procura por mundos habitáveis 09/03/2009

Posted by iurynunes in Astronomia, NASA, Vídeos.
Tags: , , , , ,
add a comment

08-0468-keplersmallA NASA lançou na noite da última sexta feira (06/03) a missão espacial Kepler, que terá como meta procurar fora do Sistema Solar planetas que se pareçam com a Terra .

Com um custo aproximado de 600 milhões de dólares, essa é a primeira missão da Agência Espacial Norte Americana para encontrar planetas semelhantes à Terra. Equipada com um telescópio Schimidt de 95 cm de diâmetro e  42 CCDs (detectores  eletrônicos semelhantes aos encontrados nas câmeras digitais),  a Kepler observará cerca de 100 mil estrelas, procurando por planetas que sejam relativamente pequenos e que estejam a uma distância adequada da sua estrela hospedeira para que possam ter água em estado líquido.

Desde 1995, 342 planetas foram encontrados fora do Sistema Solar, mas até o momento não foi encontrado nenhum que apresentasse condições para o desenvolvimento da vida como a conhecemos na Terra.

Confira abaixo como foi o lançamento da Kepler, realizado no Cabo Canaveral (Flórida/EUA).

E o vencedor é … 04/03/2009

Posted by iurynunes in Ano Internacional da Astronomia, eventos, NASA.
Tags: , , ,
add a comment
Par de Galáxias Arp 274

Par de Galáxias Arp 274

Através do programa “A Próxima Descoberta do Hubble: Você Decide” lançado pela NASA, internautas do mundo todo elegeram o próximo alvo do telescópio espacial Hubble. Com 48% dos 140 mil votos, o par de galáxias Arp 274 superou os outros 5 concorrentes e será observado nos dias 2 a 5 de abril como parte das comemorações do Ano Internacional da Astronomia.

As galáxias são atraídas mutuamente pela gravidade, e estão tão próximas entre si que apresentam um fenômeno conhecido como “canibalismo galáctico”. Ao final do processo, que pode durar bilhões de anos, elas se fundirão, dando origem a uma nova galáxia. Durante a fusão, as nuvens de gás dentro de cada uma forma um grande número de novas estrelas e de agrupamento de estrelas, resultando em belas imagens.

Além do espetáculo fotogênico, os astrônomos esperam observar outros detalhes nunca estudados do choque galáctico. A imagem será divulgada em http://youdecide.hubblesite.org

Mais informações podem ser obtidas aqui

Um acidente Espacial 14/02/2009

Posted by fellipy in Ano Internacional da Astronomia, Astronomia, órbita da Terra, NASA.
Tags: , , , , ,
4 comments
G1)

uma simulação do tráfego de satélites em torno da Terra, feito pela ESA (Fonte: G1)

Um satélite americano da Rede Iridium de telecomunicações se chocou com um satélite russo, a uma altura de cerca de 780 km sobre a região da Sibéria. De acordo com um porta-voz dos EUA, o choque teria ocorrido no dia 10/02.

No dia 10, às 14h56 (horário de Brasília), o satélite russo Cosmos-2251 – lançado em 1993 e desativado dois anos depois – sofreu um impacto no céu com o satélite Iridium 33 – lançado em 1997. O choque teria causado uma nuvem de fragmentos e poeira que se alastrou por uma altura entre 500 e 1300 km, o que poderia ser um risco para outros satélites e até mesmo para a Estação Espacial Internacional (ISS em inglês), que se encontra a uma altura de 400 km. Segundo especialistas e militares, é a primeira vez que acontece um acidente deste gênero.

Segundo especialistas e militares, é a primeira vez que acontece um acidente deste gênero. A Roscosmos (agência Espacial Russa) está monitorando os fragmentos e acredita que os destroços não representam perigo para a ISS. A NASA acredita que existam cerca de 18 mil objetos ao redor da Terra, incluindo satélites ativos e inoperantes.